Montevidéu: Pequena (pero no mucho!)

Sabe aquela ideia de conhecer Montevidéu em dois dias? A menos que essa seja sua única opção, desista! A capital do “paisito” é pequena sim, mas tem diversos atrativos e nem todos ficam tão próximos.

Acho interessante dividir os dias disponíveis por bairros, dessa forma o tempo rende mais!
Segue sugestão de roteiro:

Bairro: Ciudad Vieja

O bairro Ciudad Vieja foi a parte da cidade que mais me agradou, repleto de monumentos e pontos de interesse, é uma opção para um dia inteiro de passeio, ou até mais.

Plaza Independência

Plaza Independencia

Essa praça é rodeada por construções interessantes e ornamentada com uma estátua do herói nacional, General Artigas, ao centro. Abaixo do monumento está o Mausoléu subterrâneo de Artigas, onde ficam seus restos mortais.

Puerta de la Ciudadela

Puerta de la Ciudadela

A “Puerta de la Ciudadela” é parte do que restou da antiga muralha que protegia Montevidéu contra invasões. Hoje ela é um verdadeiro marco que divide a cidade antiga e a moderna, localizada entre a “Plaza Independencia” e o Peatonal Sarandí.

Teatro Sollis

Teatro Solis

Uma grande frustração dessa viagem foi não ter feito a visita guiada no Teatro Sollis. Passei duas vezes por lá, mas nenhuma em horário compatível com as visitas. O jeito foi entrar e explorar sem guia mesmo… A construção é belíssima! Foi erguido entre 1842 e 1869, inspirado no teatro Carlo Felice, de Gênova. Tive a oportunidade de visitar a foto galeria do teatro, a lojinha de souvenires e também o café, que tem uns docinhos deliciosos! Vale a penas acessar o site para obter informações sobre espetáculos gratuitos.

http://www.teatrosolis.org.uy

Mercado del Puerto

Mercado del Puerto

Localizado em frente à Zona Portuária (o que justifica seu nome), esse mercado é na verdade uma grande praça de alimentação. Os clientes são majoritariamente turistas e os garçons falam um pouco de cada idioma. A gentileza no atendimento me agradou bastante, todos os restaurantes oferecem uma pequena taça de espumante como cortesia e o clima é bem descontraído.

A especialidade por ali são as carnes, o que fez com que eu saísse um pouco “defumada”, mas isso não chegou a ser um inconveniente. A comida é muito boa e muitos restaurantes aceitam pagamento em reais (porém, oferecem uma cotação abaixo da média).

Bairros: Cordón / Parque Rodó

No bairro Cordón vale a pena conhecer a feira Tristán Navaja e caminhar pela Avenida 18 de Julio. Esse dia pode ser “repartido” com o bairro Parque Rodó, que é relativamente próximo.

Tristán Narvaja

Tristán Narvaja

Tristán Narvaja é uma feira de rua localizada no bairro Cordón, que acontece sempre aos domingos, das 8h às 15h. Ela se estende por várias ruas, entre elas a própria “Tristán Narvaja”. A melhor forma de acesso é pegar um ônibus que passe pela Av. 18 de Julio e descer em frente à Biblioteca Nacional.

A oferta de produtos por lá é bem variada, encontrei desde animais (de estimação e silvestres) espremidos em micro gaiolas, até frutas, verduras, roupas, antiguidades e quinquilharias em geral. A melhor parte é sem dúvida a do mercado de pulgas. Me interessei pelas placas antigas de carros e por umas luminárias lindíssimas! Mas acabei pensando no transtorno de carregar aquilo tudo por 15 dias e no final comprei apenas um chimarrão e bijuterias.

Acredito que muitas pessoas devam achar a experiência de caminhar por essa feira um horror! Já que ela é muvucada e o ambiente, como o de qualquer feira-livre, muito barulhento, mas foi justamente isso que me fez gostar tanto dessa experiência: a confusão, a desordem, a gritaria e o colorido de Tristán Narvaja.

Avenida 18 de Julio

Essa é a principal Avenida de Montevidéu e não se limita ao bairro Cordón. Começa na Plaza Independencia, atravessa todo o centro e segue até o Obelisco de Tres Cruces, oferecendo aos transeuntes muito comércio e importantes edifícios históricos. Um dos atrativos ao longo da Avenida que me pareceu bem simpático foi a Fuente de los Candados. Segundo a lenda, os namorados que prenderem um cadeado ali e jogarem a chave fora, terão garantia de amor eterno.

Fuente de los Candados

Parque Rodó

Parque Rodó

O parque (homônimo do bairro) é um espaço delicioso pra ver a tarde passar sem pressa. O extenso gramado é um convite à preguiça! Fiquei um tempão contemplando os patos no lago e confesso que até tentei fazer um passeio de pedalinho, mas estava fechado…

Para minha surpresa encontrei durante a caminhada uma galeria de fotos a céu aberto, bem no meio do parque. Gostei muito dessa mistura de arte e natureza.

Fotos Parque Rodó

Lamentavelmente não era o dia da feirinha, que acontece apenas aos domingos.

Bairros: Tres Cruces / Parque Batlle

Tres Cruces é o bairro onde fica a rodoviária e um shopping (no mesmo prédio da rodoviária). O que mais gostei por ali foi o Obelisco Tres Cruces. Com um pouco de boa vontade dá pra combinar esse bairro com o Parque Battle. Apesar da curta distância, a diferença entre os dois é enorme. Em Tres Cruces reina um trânsito intenso, uma barulheira e as pessoas me pareceram estar todas atrasadas e apressadas. Já um pouco mais adiante, em Parque Battle, tive a impressão de ter encontrado um oásis de sossego. Tudo bem mais arborizado, crianças e cachorros brincando no parque, pessoas lendo embaixo das sombras das árvores. Enfim, minha vontade era ficar por ali!

Parque Battle

Nesse parque, que tem o mesmo nome do bairro, está a famosa escultura “La Carreta”, do escultor José Belloni. Ela representa a antiga forma de transporte dos homens do campo.

Estádio Centenário / Museu del Fútbol

Estádio Centenário

O Estádio Centenário foi inaugurado em 1930 com o objetivo de sediar a primeira Copa do Mundo da história. Atualmente, está meio “caidinho”, pedindo reparos… Fiz a visita em um dia em que não havia jogo e pra piorar, o Museu do Futebol estava fechado para reforma. Então o passeio ficou meio sem graça… Fiquei curiosa pra ver o painel com o gol da Celeste sobre o Brasil no Maracanã, no final de copa de 1950. Mas afinal, sofrer pra que, né?!

La Rambla

A Rambla é o calçadão dos uruguaios, com a exceção que dali não se avista o mar e sim o Rio da Prata. Um ótimo ponto pra se contemplar o pôr do sol.

Rambla

Onde Ficar:

Hostel El Viajero
http://www.elviajerodowntown.com/pt-br/

  1. Olá Juliana, cheguei ao teu blog através de tuas dicas no tópico sobre o Uruguai no Mochileiros. Gostei das dicas. Estou pensando em ir para o Uruguay em agosto, e apesar de ter facilidade para deslocamento e roteiros, é sempre bom saber dicas que não estão nos principais guias, experiências pessoais que podem ajudar a melhores opções. Tu percebeste que é fácil se comunicar em português por lá? e o inglês é bem recebido? Não falo espanhol, já tive experiências no Chile e Buenos Aires com o portunhol e inglês, Mas das vezes que fui a Rivera na fronteira com o Brasil, percebi que eles falavam muito rápido. Parabéns pelo blog. Vou procurar visitar mais os outros posts.

    • Juliana Faria

      Olá Thiago!
      Sou suspeita pra falar, pois me encantei pelo Uruguai!
      Achei fácil o deslocamento sim! Quando vc está em Montevidéu é melhor ainda, pois a rodoviária é grande e há muitas opções de horário, mas quando estiver em uma cidade menor, vale a pena se informar com antecedência pra não correr o risco de perder o ônibus. Isso aconteceu comigo quando fui de Punta pra Cabo Polônio, perdi o primeiro ônibus e tive que esperar o segundo que só passava no final da tarde.
      Quanto ao idioma, é fácil se comunicar em inglês e além disso há muitas pessoas que falam, ou pelo menos entendem português. O mais importante é que eles têm boa vontade e tentam ajudar. Pode ficar tranquilo quanto a isso…
      Precisando de maiores detalhes, é só falar! 🙂

      Boa viagem!

  2. Olá Juliana e Thiago.

    Aqui sou uma que também vai ao Uruguai em agosto.

    Estou com a passagem comprada para o dia 12 e meu objetivo é conhecer Montevidéu e Cabo Polonio pelo menos.
    Ao sair do aeroporto, preciso encontrar um hostel/albergue baratinho. Vocês tem alguma dica?
    Para onde devo ir do aeroporto?

    Muito Obrigada.

    Abraços!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *