Sucre: A cidade branca

De todas as cidades que visitei na Bolívia, Sucre foi a que me pareceu mais bonita e organizada. Localizada no Departamento de Chuquisaca, é a capital Constitucional da Bolívia e abriga órgãos importantes, como a Corte Suprema de Justiça. Em uma rápida caminhada por suas ruas percebe-se a razão do apelido que ganhou: “cidade branca”, os edifícios coloniais são predominantemente dessa cor e a uniformidade, longe de transmitir monotonia, como se possa imaginar, confere uma identidade visual muito peculiar à capital.

Sucre Branca

Em qualquer mapa da cidade há traçados com sugestões de roteiros a pé para se conhecer os principais atrativos. Resolvemos seguir um deles, que tinha como ponto de partida a “Plaza 25 de Mayo”, bem próxima de onde estávamos hospedados. Logo ao redor da praça já encontramos construções interessantes como a Catedral de Sucre e o Prédio da Prefeitura.

Sucre - Prefeitura

No centro da praça havia uma estátua de Antônio José Sucre, herói da independência e responsável pelo atual nome da cidade.

Continuamos nosso trajeto e logo passamos pelo “Convento San Felipe de Neri”, fundado em 1795. Infelizmente não tivemos oportunidade de entrar em cada uma das construções. Devido ao horário e ao dia da semana (domingo!) estava tudo fechado, realmente lamentável.

Convento - Sucre

Visitamos também a “Basílica de San Francisco” e uma coisa que me chamou a atenção foi o emaranhado de fios elétricos poluindo sua fachada. Os fios não estavam apenas nos postes, faziam um confuso zig zag e davam a impressão de que a energia naquele trecho era um conjunto de “gatos” mal feitos.

Basílica de San Francisco

Enfim, continuamos caminhando e fizemos uma pausa pra comprar o chocolate local: “Tabuada”, pro meu gosto, muito doce! Logo passamos pelo “Museo Casa de la Libertad”, onde foi assinada a ata de independência da Bolívia, em agosto de 1825. Sua fachada não é totalmente branca, há também detalhes em pedra e uma imponente porta de madeira, além de uma bandeira da Bolívia.

Apesar de estar fora do nosso roteiro, resolvemos pegar um táxi para visitar o “Museo de la Recoleta” e o “Mirador de la Recoleta”, localizados no alto de uma íngreme ladeira, aos pés dos montes Sica Sica e Churuquella. Novamente problemas com o horário, o museu ainda iria demorar cerca de 2h pra abrir e não podíamos esperar para não perder nosso voo para Santa Cruz. De qualquer forma foi um passeio bem agradável, a vista do mirante é fantástica e também pudemos aproveitar uma ótima feirinha de produtos típicos localizada bem ao lado do mirante.

La Recoleta

Nossa passagem pela cidade foi realmente muito rápida, tivemos que abrir mão de muitas coisas, mas o que mais lamentei foi não ter ido ao “Parque Cretácico Municipal”, onde há réplicas de dinossauros e mais de 5.000 pegadas. Bom, fica pra próxima…

Se possível reserve pelo menos 2 dias pra Sucre, a cidade é muito agradável e realmente merece uma visita com mais calma.

Onde Ficar

Grand Hotel:
Quarto duplo – café da manhã não incluso Bs 180 

Custos

Café da manhã – Bs 15
Passagem de avião Sucre – Santa Cruz – US$ 60 (Amaszonas)
Taxa de Aeroporto – Bs 15

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *