Casapueblo: Refúgio, ateliê e obra-prima de Vilaró

Localizada em Punta Ballena, a 15 km do centro de Punta del Este, a Casapueblo é fruto do empenho e persistência de Carlos Paes Vilaró, que dedicou 36 anos de sua vida a essa construção. O resultado é surpreendente, uma imensa obra de arte localizada em uma bela e íngreme encosta, “um protesto contra a linha reta”, segundo definição do próprio artista.

Casapueblo

Casapueblo Vilaró

O projeto, que surgiu sem nenhuma influência da arquitetura formal, teve como ponto de partida uma simples casa de lata, batizada de “La Pionera”, e foi crescendo graças à criatividade do artista e ao trabalho de pescadores e amigos, que o ajudaram nessa empreitada. O resultado final lembra muito o estilo do arquiteto catalão Antoni Gaudí, mas não encontrei nenhuma referência de que ele tenha lhe servido como fonte de inspiração. Vilaró alegava que a ideia surgiu da observação do pássaro João de Barro (Hornero em espanhol), que constrói a sua própria casa.

Varanda Casapueblo

Atualmente funcionam na Casapueblo: um museu, uma galeria, um café e um hotel. Até 2014, data do falecimento do artista, a construção abrigou também seu ateliê. Já o hotel, não tem qualquer vínculo com Vilaró ou sua família, trata-se de uma parte da propriedade que foi vendida.

Comecei a visita pela sala de projeções, assistindo a um breve documentário sobre a vida do pintor e momentos importantes de sua trajetória, tais como sua experiência em um leprosário na África e sua atuante participação nas buscas por um avião que caiu na Cordilheira dos Andes. Entre os passageiros estava seu filho Carlos, que três meses após o acidente seria encontrado entre os 16 sobreviventes. O vídeo é bem interessante e ajuda a contextualizar os demais atrativos que serão vistos na exploração da Casapueblo.

Uma curiosidade da casa é que ela tem diversos locais batizados com nomes de celebridades. Tive o prazer de visitar a “Callecita de Pelé”, o “Ricon de Eduardo Galeano”, a “Terraza de Mario Benedetti”, o “Mirador de Juan C. Onetti”, entre outros cantinhos famosos.

Casapueblo Callecita de Pelé

Fiz uma pausa no café, onde me deliciei com um cappuccino e um alfajor e em seguida fui conferir as obras no museu, realmente muito interessantes! Não me informei se estavam à venda ou não, pois de qualquer forma não caberiam no meu bolso… Mas pude pelo menos adquirir uma ilustração e um livro com o relato do acidente aéreo na Cordilheira dos Andes “Entre mi hijo y yo, la luna”.

Quando estava finalizando as compras percebi uma agitação e uma disputa fora do comum por um lugar na varanda, me informaram que a “Ceremonia del Sol” iria começar. Saí quase correndo, pois sabia que aquele seria o ponto alto da visita. Nesse momento teve início a gravação de um poema com a voz de Vilaró, em uma homenagem ao sol. Enquanto ouvíamos com nostalgia a voz do artista declamando o poema, o sol ia se despedindo da plateia no horizonte. Seus últimos raios coincidiram com as frases finais da gravação e no final, todos aplaudiram. Confesso que chorei!

Pôr do Sol Casapueblo

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *