Circuito Vale Europeu de Cicloturismo: Parte Baixa

Timbó – Pomerode (45km)

A ideia era aproveitar um dos dias do feriado de ano novo pra pedalar pelo Vale Europeu. Decidimos fazer a parte baixa, formada pelas localidades de Timbó – Pomerode – Indaial. A distância total desse trajeto é de 85 km e costuma ser feita em dois dias, mas como o tempo era curto, o jeito foi apertar o cronograma e fazer as duas etapas em um único dia.

Pedal Vale Europeu

Passamos a noite em Timbó, hospedados no Timbó Park Hotel e no dia seguinte iniciamos o pedal por volta das 9h. Esse hotel está acostumado a receber ciclistas e já tem uma boa estrutura de apoio, como – local seguro para guardar as bicicletas, lanche de cortesia para ser levado na viagem e recepcionistas bem informados para auxiliar quem precise de informações sobre o trajeto.

Uma boa opção para as pessoas que forem fazer o Circuito completo é adquirir um passaporte (R$16,00 – é vendido no Timbó Park Hotel e no restaurante Thapyoka). Esse passaporte deve ser carimbado em cada localidade do trajeto. No final do circuito, quem apresentá-lo com os devidos carimbos, terá direito ao certificado de conclusão.

Passaporte Vale Europeu

Nosso ponto de partida foi o restaurante Thapyoka, marco zero do circuito.

Marco Zero Vale Europeu

Nos primeiros quilômetros o terreno oscila entre paralelepípedos e asfalto e logo é substituído por uma estradinha tranquila de areião batido.

É importante atentar-se às setas amarelas que indicam o caminho, pois há muitas bifurcações que geram dúvidas.

Pedal Timbo Pomerode

Começamos e terminamos o dia com chuva, o que aumentou um pouco o esforço físico, mas por outro lado garantiu uma temperatura amena.

Os primeiros quilômetros são bem planos e tranquilos, a paisagem é composta por pequenas plantações agrícolas, sendo a maioria de milho e arroz.

Fique atento, pois no caminho há uma bela ponte pênsil que pede uma escapada da rota pra uma foto!

Vale Europeu Ponte

Outro atrativo são as belas construções de Estilo Enxaimel, que podem ser apreciadas ao longo do percurso. A principal característica desse tipo de construção é a presença de hastes de madeiras encaixadas, com os espaços entre elas preenchidos por tijolos ou pedras, além de telhados com inclinação acentuada. Algumas casas possuem placas que indicam esse estilo de arquitetura.

Arquitetura Enxaimel

Cruzamos a Cidade de Rio dos Cedros e fomos em direção ao maior obstáculo do dia, a subida que antecede o Rio Ada. Eu não estava com o condicionamento físico em dia e tive dificuldade sim, confesso! Mas sofrimento a parte, a ladeira ficou pra trás… As descidas também são bem acentuadas e com pedras soltas, o que exige atenção.

Pomerode Rio dos Cedros

Pomerode – Indaial (40km)

Logo chegamos a Pomerode, conhecida por ser a cidade mais alemã do Brasil.

Pomerode

Ficamos pouco tempo por ali, , mas a impressão que tive foi de que tudo estava fechado. Acabamos fazendo um lanche na confeitaria “Doce Doçura”, onde pudemos repor todas as calorias gastas e ainda guardar um bom estoque de energia pra próxima etapa. Tudo muito saboroso, servido em porções bem generosas e com ótimo preço!

Pra quem for pernoitar na cidade, uma boa opção é agendar uma visita na Cervejaria Schornstein, para conhecer o processo de fabricação da bebida e também degustar, é claro!

De barriga cheia (até demais!), demos início a essa segunda etapa por volta das 15h.

Construção Enxainel

A paisagem é caracterizada por riachos e casinhas bem cuidadas. Há duas subidas fortes, uma no vilarejo de Wunderwald e outra em Mulde, mas não são tão íngremes quanto a anterior e o fato delas serem intercaladas por trechos planos, favorece.

Quem olhar um mapa irá perceber que nesse trecho há muitas voltas até a cidade destino. O objetivo desse “caminho de rato” é fazer com que o percurso seja predominantemente composto por estradas de terra. Ainda assim, dois trechos de asfalto exigem atenção. O primeiro é de 1km e liga Pomerode à BR 470 e o segundo é o momento em que se deve cruzar a BR 470, o tráfego ali é muito intenso e é importante ter cuidado.

Por volta das 18h30 chegamos a Indaial, ali percorremos um trecho de paralelepípedo por dentro da cidadezinha e cruzamos uma ponte de concreto, último obstáculo antes da tão esperada placa “Final do Segundo Dia”. Terminei muito cansada, mas bastante feliz de ter vencido mais esse desafio.

Ponte Indaial

Mapa Timbó Indaial

Nos hospedamos no Hotel Marcus Fink, que tem uma ótima estrutura e bom preço. Em seguida fomos comemorar o dia com uma pizza gigante no Don Corleone, devidamente acompanhada de cerveja!

Custos:

Timbó Park Hotel:
Quarto individual: R$140,00
Quarto duplo: R$180,00
http://www.timbopark.com.br/

Hotel Marcus Fink
Quarto individual: R$75,00
Quarto duplo: R$150,00
http://www.hotelfink.com.br/regulamento.php

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *