Sintra: Um dia entre Palácios e Colinas

Poética, romântica, medieval… Assim é a pacata vila de Sintra. Localizada a apenas 30 km da capital portuguesa, dá a impressão de ter parado no tempo e encanta os visitantes com suas muralhas e palácios coloridos, distribuídos ao longo de uma serra tortuosa e frequentemente encoberta por névoa.

O acesso é bastante simples e pode ser feito a partir da Estação de Trem do Rossio, que em minha opinião já é a primeira atração do passeio. Sua fachada é imponente e surpreende pelas portas e janelas em formato de arco, pelo relógio de números romanos situado no topo e pelo acabamento bem ornamentado.

Devido à sua proximidade com Lisboa, Sintra é considerada uma ótima opção de passeio bate-e-volta e levando em conta meu tempo escasso, também foi o que eu fiz! Saí de manhã, não “tão” cedo como deveria, peguei o trem das 11h e cerca de 30 minutos depois, desci na estação de Sintra (parada final).

Um dia foi realmente suficiente? Bem… Depende muito dos interesses de cada um, para conhecer todos os atrativos realmente não dá! Mas se a ideia for passar dia agradável, sem o desespero de fazer “check-in” em tudo, apreciar a arquitetura, a boa gastronomia e visitar com calma 2 ou no máximo 3 palácios, creio que vale muito a pena sim!

Quem preferir esticar a estadia e pernoitar na vila, certamente também terá uma ótima experiência, classificada como patrimônio mundial pela UNESCO, Sintra honra o seu título oferecendo ótimas opções de entretenimento também para 2 dias.

Chegamos com um pouco de fome, mas ainda era cedo para o almoço, então resolvemos aproveitar as dicas unanimes de provar a queijada da Sapa!

Acreditando na boa reputação da iguaria, peguei logo duas queijadas, além de uma empada e um café. Tenho que dizer que a fama é justa! O docinho de queijo fresco com uma pitada de canela é realmente fantástico!

Já sem fome, nos encorajamos pra enfrentar a chuvinha fina e começar nossa caminhada. Na verdade não caminhamos tanto assim, pois logo avistamos o ônibus “hop on hop off”, que faz paradas nos pontos turísticos e permite que você saia, faça sua visita e pegue o ônibus seguinte para continuar o passeio. Decidimos que seria uma boa opção pra tornar nosso pouco tempo mais produtivo.

Escolhemos previamente os Palácios que iríamos visitar, optamos pela Quinta da Regaleira e pelo Castelo dos Mouros. Esperamos o próximo ônibus que saiu pontualmente no horário estabelecido e teve sua primeira parada no Palácio de Sintra. A construção imponente impressiona e mesmo estando fora do nosso roteiro, decidimos parar para uma foto. A arquitetura é originalmente árabe, mas há uma mescla de estilos, como o gótico e o manuelino. Foi utilizado como residência da família real desde o século XII.

Dali seguimos para o Castelo dos Mouros, uma fortificação militar com suposta data de construção entre os séculos VIII e IX. É a maior evidência da presença Islâmica da região e foi ampliada após a reconquista.

Chegar ao topo pode ser um pouco cansativo, mas nada impossível e a vista que se tem dali, certamente compensa muito! O valor da entrada é de 8 euros.

Resolvemos fazer uma pausa para o almoço. As opções são bem variadas e atendem a todos os paladares e bolsos. Escolhemos um restaurante mais modesto, que oferecia algumas opções de menu do dia a preço fixo. A torta de cereja estava digna de aplausos!

Um ponto que me chamou a atenção em relação aos restaurantes portugueses em geral, é que há área para fumantes (interna!!!!) e o cheiro de cigarro durante as refeições e inevitável. Foi algo que me incomodou muito durante toda a viagem.

Nossa próxima parada seria a Quinta da Regaleira, construção repleta de símbolos da mitologia, bastante misteriosa e capaz de surpreender os visitantes nos menores detalhes. Tem certo ar “Harry Potter” e em minha opinião, foi o ponto alto da nossa visita a Sintra (valor da entrada 6 euros).

Caminhar sem pressa pelos jardins do palácio é uma atividade muito agradável. Explore com atenção a Alea dos Deuses, uma alameda ornamentada com estátuas das divindades clássicas, como Vênus, Orfeu, além de meu querido Dionísio, Deus do vinho!

Entramos na Regaleira com o propósito principal de conhecer o Poço Iniciático, uma torre invertida com 27m de profundidade, no entanto estávamos caminhando pelos labirintos aleatoriamente, sem a intenção de ir diretamente ao poço. Caímos por um acaso em um túnel relativamente escuro e decidimos seguir por ele pra ver onde iríamos parar… Tivemos uma boa surpresa quando descobrimos no final do túnel, o tão cobiçado Poço e sua imensa escadaria em formato de caracol. Subi todos os degraus para vê-lo de cima! É realmente uma construção muito original.

Quando estávamos quase indo embora, mais uma feliz coincidência: no final de um corredor estreito, caímos em uma sala onde acontecia uma belíssima apresentação de fado. Realmente um grand finale para um dia tão especial!

Informações Adicionais

Castelo dos Mouros: 8 euros
Quinta da Regaleira: 6 euros
Queijada (unidade): 0,85 euros
Almoço (menu do dia + bebida + café): 20 euros
Passagem de trem: 2,15 euros cada trecho.
Consulte horários e valores atualizados no link abaixo:

https://www.cp.pt/passageiros/pt/comprar-bilhetes

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *